[Resenhando] A História Esquecida da Hospedaria na Estrada

Creio que nunca fiquei tão fascinada por um livro como fiquei por  esse.

Sinopse: Era uma vez...  Uma fria noite de outono, em um país do Hemisfério Norte do terceiro planeta do Sistema Solar da Via Láctea, chamado Terra...
Quando Mathew Roberts parte para visitar seu irmão em coma, ele é obrigado por seu estranho e repentino cansaço a hospedar-se em um hotel na beira da estrada. Ao ser recebido por uma jovem mulher com uma vela na mão, ele sente um frio descer-lhe pela espinha, mas não tem forças para voltar; como se ela fosse o imã e ele o metal. Ao pisar na recepção, ele começa a perder a memória.
O tempo passa. Ininterruptamente. E ele quem narra essa história
Este é um Conto de Fadas... da Morte, sobre:
criaturas não-humanas
um deus na puberdade
um amor impossível
escolhas

e Sonhos Mortos.

Mathew Roberts tem 35 anos e namora com a estilista Marie, mas não por amor e sim por conforto à ambos. Há muito ele desistiu de achar a mulher dos seus sonhos.
"Eu vi que o amor não é tão fácil quanto deveria ser e nem tão difícil como poderia... e descobri que ele é - acima de tudo - feito de escolhas"  [pg. 9] 
Ao receber a notícia de que seu irmão, Andrew, sofreu um acidente, Mat parte para o hospital. Enquanto isso, em S'mentry Manor, Tiffany e seus empregados preparam a hospedaria para a chegada do novo inquilino.

Nosso narrador anfitrião, Chronos, nos conta a história sob sua perspectiva o mais imparcial que ele pode, contando desde como Linumê conseguiu a Mansão/Hospedaria, até como Mathew chegou lá. Ele salta do presente para o passado e vice e versa sem deixar a narração confusa.
"A beleza de ser humano é a capacidade de sempre poder surpreender-se consigo mesmo, eu concluí." [pg. 217]
Posso dizer que o livro é perfeito, uma linda capa, a marcação de cada novo capítulo é linda, porém a revisão do texto deixou a desejar, em algumas vezes os pronomes estavam trocados, faltavam palavras, mas isso não impede de entender a história. E com um final surpreendente.
C. A. Saltoris fazendo cosplay da Fada da Morte, Linumê
"E eu humanizei-me de tal forma a quase acreditar que os Grandes Deuses do Universo tivessem sentido a minha angústia e enviado-me o clima que mais combinasse com ela, para que eu pudesse sofrer com o cenário adequado à minha porta. Quão arrogante! Mas assim são os humanos, eles acham que os deuses nada têm de melhor para fazer, a não ser cuidar da sua vida que eles negligenciam."  [pg. 226]
Cortesia de parceria Chiado Editora


Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Olá!
    Nossa,você sabe como promover um livro!!! AHUHAUHAUHAU
    A premissa é bem interessante e faz tempo que não leio algo com ar de mistério como esse livro parece ter. E a capa é muito bonita mesmo.
    Consegui parceria com a chiado também, vou ter que tentar pegar esse livro!
    Ótima resenha!
    =D

    http://osdragoesdefogo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha Ele é realmente surpreendente. Obrigada ♥
      Parabéns pela parceria \o/

      Excluir
  2. A capa do livro é lindíssima e a premissa é muito boa. Apesar dos problemas na revisão, acredito que eu iria curtir a obra.
    Excelente resenha.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, se um dia você ler quero resenha ;)

      Excluir

Deixe seu comentário, ficarei feliz em saber sua opinião.

Coloque o link do seu blog para que eu possa retribuir a gentileza ;)
Obrigada pela visita, volte sempre!

- Proibido qualquer tipo de ofensa e linguagem imprópria -