[Resenhando] A Maldição do Lobisomem


Título: A Maldição do Lobisomem
Saga: Crônicas da Lua Cheia #1
Autor: Clecius Alexandre Duran
Editora: Giostri
Páginas: 268
Gênero: Fantasia/Horror/Ficção
Ano: 2016
ISBN: 9788581088976
Sinopse: Como seria nosso mundo se o lobisomem não fosse apenas um mito? Esta é a pergunta que a obra Crônicas da Lua Cheia – A Maldição do Lobisomem tenta responder.Alexandre é atacado por um lobisomem, mas escapa quase ileso com apenas uma mordida. Desse momento em diante, sua mente jaz adormecida nas noites de lua cheia. Sob o halo prateado do plenilúnio, seu corpo se altera radicalmente para se transformar num ser animalesco, faminto e sanguinário.
Solitário, a contraparte bestial de Alexandre, aprende a sobreviver longe da proteção da alcateia e se ressente das limitações da sua existência noturna, bem como das excruciantes dores da metamorfose arcana. Quando finalmente encontra seu lugar no seio de um grupo de lobisomens, Solitário descobre que uma obscura profecia, conhecida apenas por um velho licantropo exilado, pode ser a chave que poderá libertá-lo da sua maldição: a coexistência com seu alter-ego humano.
Dessa forma, a vida mundana de Alexandre e a busca de Solitário vão convergir para um evento que afetará sobremaneira a vida de ambos. E, no final, só pode haver um.



RESENHA


Desde a primeira vez em que ouvi falar deste livro, foram diversos elogios. Agora posso confirmar cada um deles.
Quem acompanha o blog, sabe que a minha grande paixão são os vampiros, e que este é o segundo livro de lobisomens que leio até o fim. Visceral é um bom adjetivo para descrever esse livro sangrento. Desde o primeiro capítulo as páginas pingam sangue em um ataque bem descrito do lobisomem às suas vítimas. A contra-parte humana do Solitário lobo, chama-se Alexandre. Ele vive uma vidinha pacata como servidor público. Fazendo de tudo para que seus sumiços nas semanas de Lua Cheia não levantem suspeitas.
Na companhia de sua Cheetara (SRAD 1000), Alexandre acaba por conhecer um peculiar grupo de motoqueiros, que acabam se tornando sua nova família. Um pequeno problema é que apenas eles podem ser sua família. Ao longo da trama, vemos as mudanças comportamentais e psicológicas que ocorrem quando o lobo tenta tomar seu lugar. Sempre que a grande esfera prateada toma seu lugar no céu, o lobo serve-se de humanos ou animais. O que estiver ao seu alcance. Quando isto ocorre, é um grande banho de sangue e vísceras.
Alexandre não se importa com as vítimas de seu companheiro lupino, mas uma parte de si, de seu lado humano, claro, gostaria que houvesse uma forma de não se tornar mais lobo, assim poderia ter uma vida normal, com amigos e uma família de verdade. O que Alexandre não imagina é que o lobo também deseja ser livre de sua parte humana. Assim não seria mais fraco. Ambos desejam liberdade desta maldição, o problema que para se conseguir este feito, há um grande sacrifício à ser realizado.
"Um idiota agindo imprudentemente pode tirar a vida de uma outra pessoa por nada. Meu lobo tira a vida para saciar sua fome e preservar sua existência. Acho que já tem gente idiota demais nesse mundo, um a menos não faz a menor falta."
Narrado em terceira pessoa, Clecius nos mostra partes do passado e presente de Alexandre, com uma narrativa que remete a um diário. No final do livro há um apêndice que separa ordenadamente as datas e acontecimentos. A escrita do Sr. Duran é fluida e com um bom vocabulário. Definindo a personalidade dos personagens e descrevendo os cenários com maestria.
As quase trezentas páginas são devoradas com facilidade, visto que junto da ótima escrita, as folhas amareladas e o bom espaçamento ajudam muito.
Não há do que reclamar. Esse livro me mostrou que para rolar sangue pelas páginas, não é preciso a presença dos meus queridos dentuços.
Este livro é um que, eu quero indicar para todos! Mas não é um livro para qualquer um.
Se você tem aversão a coisas sanguinolentas e se impressiona fácil, pense bem antes de ler a história de Alexandre.


Outras fotos:






"O que passou, passou. É como eu digo, se a vida te dá as costas, passe a mão na bunda dela."


 

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Ahhh!

    Acho que nunca li uma história em que lobisomens sejam protagonistas, mas fiquei extremamente interessada nesse livro pela sua resenha. Que foda o cara abraçar esse lado e ao mesmo tempo as duas partes querem ser livros.
    Sua resenha me conquistou 💕

    Vou procurar!

    Beijaooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz!
      Tem um outro, é pequeno... "Lobo de Rua", da Jana P. Bianchi.

      Obrigada por visitar o MFdR, Cami <3


      Petrova

      Excluir
  2. Gostei do post! Segui o teu blog, podes seguir o meu? :)

    www.aflormaria.blogspot.pt

    beijinhos

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, ficarei feliz em saber sua opinião.

Coloque o link do seu blog para que eu possa retribuir a gentileza ;)
Obrigada pela visita, volte sempre!

- Proibido qualquer tipo de ofensa e linguagem imprópria -